Crónicas/Resumos

Balanço final da Época 2020/21: J. L. Medeiros (Coord. Técnico)

José Luís Medeiros – Coordenador Técnico

Com o término da época desportiva, é altura de fazer uma análise da mesma.
A época que agora termina foi afetada pela Pandemia que, infelizmente, também já tinha sido o motivo para que a anterior tivesse terminado de uma forma diferente do habitual.
Quando nos foi possível retomar os treinos, tivemos que o fazer com diversos condicionalismos o que só por si dificultou o trabalho que pretendíamos realizar, mas isso não nos impediu de possibilitar que os atletas tivessem treinos, treinos esses mais virados para a vertente física. Com o agravamento da Pandemia, infelizmente, fomos obrigados a parar novamente. Atendendo a que os atletas estavam todos em casa em confinamento, optámos por realizar treinos online para tentarmos minimizar um pouco o sedentarismo dos mesmos.
Quando as Autoridades de Saúde nos permitiram retomar novamente os treinos presenciais, mesmo com os condicionalismos exigidos, conseguimos que bastantes atletas regressassem, não todos, pois, como é compreensível, alguns encarregados de educação optaram por não permitir o regresso dos seus educandos.

A Associação de Futebol de Setúbal criou nessa altura uma nova competição denominada Taça Esperança Concelhia e resolvemos participar na mesma com quatro equipas.
A equipa de Benjamins-B (Sub-10) composta na sua grande maioria por atletas nascidos em 2012 e 2013 entraram nesta competição com o objetivo de se irem adaptando ao futebol de 7, pois nunca tinham realizado jogos desse tipo e no final da competição já foi notória a sua evolução, pena foi que tivessem realizado tão poucos jogos.
A equipa de Benjamins-A (Sub-11) deu continuidade ao que já vinha a realizar no torneio complementar da época transata, acabando por vencer o grupo onde estava inserida, com uma prestação muito positiva.
A equipa de Infantis (Sub-12 e 13) teve uma participação muito positiva na competição, acabando também por vencer o grupo onde estava inserida.
O escalão de Iniciados (Sub-14 e 15) e Juvenis (Sub-16 e 17) participaram na competição, inseridos no grupo dos Juvenis. De todas as nossa equipas que participaram nesta competição foram os que sentiram mais dificuldades, o que é natural, pois os poucos treinos que realizaram decorreram num campo de 7 e com a passagem para o campo de 11 revelaram-se todas as limitações inerentes ao facto de alguns jogadores praticamente nunca terem jogado futebol de 11, uma vez que a época anterior terminou bruscamente. No entanto, apesar de todos estes constrangimentos, foi possível constatar, com o decorrer dos jogos, que os atletas estavam a assimilar o que a equipa técnica lhes tinha transmitido.
Quanto aos nossos atletas mais jovens – os Petizes e os Traquinas – também realizaram o mesmo tipo de treinos que os mais velhos, mas como a Associação não realizou nenhum encontro para estes escalões, só realizaram dois jogos contra dois Clubes. Para além da alegria que os nossos atletas mais jovens tiveram por poderem jogar contra atletas de outros clubes, deu para tirar ilações muito positivas da sua prestação.

No cômputo geral, mesmo com todas as condicionantes, ainda conseguimos ter em atividade, aproximadamente, 100 atletas.
Aproveito também para agradecer à Direção todo o esforço que tem feito para dar melhores condições aos nossos atletas, e agora que, finalmente, vamos ter o nosso campo de futebol de 11, garantidamente, a nossa performance desportiva vai ser muito melhor.
A todos os Pais dos nossos atletas, agradecer a vossa colaboração com o Clube, da nossa parte tudo temos feito para que a aprendizagem dos vossos educandos seja cada vez melhor, para isso temos tido o cuidado de tentar trazer para o Clube Treinadores já com alguma experiência, para que em conjunto com os que já estavam na casa possamos dar melhores condições de aprendizagem aos vossos filhos.
Como é do vosso conhecimento o CRI está numa fase de candidatura a Entidade Formadora da FPF e é nesse sentido que vos solicito uma vez mais que na próxima época continuem a dar o vosso contributo para que o CRI continue a crescer e que continue a ser um Clube ESPECIAL.
Nunca é demais dizer um muito obrigado a todos, por me terem acolhido tão bem nesta GRANDE FAMILIA e, acreditem, a minha força de vontade para continuar a contribuir com o meu trabalho para a evolução do Clube Recreio e Instrução não tem limites.